segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

PRESIDÊNCIA DO CODIVAP: QUE DIFERENÇA ISSO FAZ?


Politicamente
Que diferença faz o fato de o prefeito de São Sebastião, Ernane Primazzi (PSC), ser o novo presidente do Codivap (Consórcio de Desenvolvimento Integrado do Vale do Paraíba, Litoral Norte e Mantiqueira) para 2015? Em tese, muita. Ele amplia seu raio de ações políticas no estado em nome da cidade sebastianense, assim como já o faz em Brasília presidindo a Abramt.

A entidade de prefeitos abrange 44 cidades das regiões citadas. Essa condição amplia seus canais de diálogo com o Governo do Estado e com a Assembléia Legislativa. Presidir o Codivap o faz ter linha institucional direta com o Governador. Ernane passa a ser um interlocutor importante e destacado também dentro da RM Vale, que abrange 39 cidades. Possivelmente a sucessão municipal de 2016 também será pauta de conversas entre os prefeitos e seus respectivos partidos políticos.

Governança
Em seu discurso, pós eleição, já adiantou que o Codivap e o Condemat (Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê), que abrange 11 cidades, presidido por Marco Aurélio Bertaiolli, prefeito de Mogi das Cruzes, farão ações conjuntas. Disse também que em setembro o Codivap e o Condemat deverão realizar um seminário sobre modernização de gestão e capacitação, com apoio do Tribunal de Contas do Estado, voltado aos diretores e secretários municipais. A região tem aproximadamente 1.750.000 habitantes. Ah, falou sobre uma reunião com o Ministro Kassab também.

Sugestões
Algumas questões precisam ser levantadas e discutidas, tais como o ordenamento e o manejo do progresso que a região do Litoral Norte conquista, assim como as consequências do crescimento da região do Vale do Paraíba - que termina tendo reflexo na região praiana. O licenciamento dos grandes empreendimentos, devem ser céleres, mas conter regras que exijam mais diálogo, mais precisão sobre os possíveis impactos e maior abertura sobre a discussão pelas ações mitigadoras e compensatórias. Saneamento básico, resíduos sólidos, política habitacional, questão fundiária, controle de ocupação urbana, duplicação de rodovia, atendimento na área da saúde pública, entre outras agendas, precisam ser revistas e rediscutidas.

Trabalho e oportunidades não lhe falta. 
É a minha resenha.
-
16h45min.    -     adelsonpimenta@ig.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário